FEBRAS – PARTE II

Sexta-feira, 27 Outubro 2006 (12:07)

“What have they done to the earth
What have they done to our fair sister
Ravaged and plundered and ripped her and bit her
Stuck her with knives in the side of the dawn
And tied her with fences and dragged her down”

(excerto de When The Music`s Over, Strange Days, The Doors)

Diaz, pediste-me para postar acerca do “Our Daily Bread” e aqui está o apontamento possível. Considero que tudo o que eu possa referir será redundante. Foi tudo dito e redito, com outra mestria e poesia, pelo Jim em 1968. Deixo-te apenas com uma breve nota lateral. Não sei por que razão mas o horror show – que incluía pintainhos colhidos em caixas como cerejas, o estertor agonizante de vacas a estrebuchar após o choque eléctrico terminal ou porcos atirados para passadeiras rolantes como latas de conservas – motivou risos na assistência. Durante e depois. E, pelo menos, uma pessoa na fila atrás de mim, a disparar alto dislates como “não sei quê e não sei onde eles até são bem tratados”. É o preço a pagar por um bom bife no Alves. Cá fora uma jornalista-tia ou tia-jornalista (não sei bem) de que não me recordo o nome, penso que a mulher do David Ferreira da Universal (?), vestida de couro dos pés e da mala à cabeça. Também sorri. E lembrei-me do meu belo casaco de cabedal, usado nessa mesma tarde quando fui morder o ambiente à “passerelle” do Doc.

Bom apetite!
porco2.jpg

Anúncios

6 Respostas to “FEBRAS – PARTE II”

  1. Toni Rebel said

    Nenucão,

    Não me digas que depois de velho , vais te tornar VEGAN??

    Vi a apresentação desse “doc” dos patos e perdi logo a vontade de assistir…já sei/imagino como essas merdas são…e para mim esses tratamentos são muito piores do que as touradas (leia-se a vida de um touro até ir para Arena, não dispersem…já sei que é um assunto polémico).
    Aina vais querer as batatinhas do meu cultivo…

  2. Palmeira said

    Eu gostava de perceber a cena das pessoas se rirem ao longo dos doc’s, seja qual for o tema: necrofilia, danças orientais, estabelecimentos prisionais sobrelotados, folclore japonês, conflito israelo-palestiniano… há sempre alguém a rir sobranceiramente.

  3. Bem…

    ainda bem, então, que eu não fui ver! Se o homem já é chato que se farta com as cenas biológicas! Mas se calhar tinha ajudado à minha vegetarianização!

    E ó Rebêlo… vê lá se eu também tenho direito a uma batatita, que estou confinado às das Terras da Costa, ex-morada do Nenuco!

  4. Hás-de reparar se a malta que se ri é a mesma das barbas, então!
    Pode ser um códice de conduta!

  5. fiquei sem saber se vais passar a vegi… pelo menos até te esqueceres dos pintos e dos porcos!

  6. nenuco said

    Palmeira: é um facto consumado. Mas deve haver uma explicação. Talvez o arreganhar da tacha seja uma forma de manter um certo distanciamento (intelectual, moral e por aí fora). Mas isto sou eu, que nunca daria para psicólogo.

    Diaz e Toni: Venham de lá essas batatas. Que eu já tenho a colher…de pau feito para o refogadinho.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: