my own private Beckett

Terça-feira, 14 Novembro 2006 (13:21)

collage

bem bem existe um país

em que o esquecimento em que pesa o esquecimento

lentamente nos mundos inominados

aí a cabeça aquietamo-la a cabeça está calada

e sabemos não nada sabemos

o canto das bocas mortas morre

no areal fez a viagem

não há nada para chorar

 

a minha solidão conheço-a vamos lá conheço-a mal

tenho tempo vou achando que tenho tempo de vida

mas que tempo osso faminto a vida do cão

do céu que assola incessante o meu vão de céu

do raio que trepa ocelando fremente

dos mícrons dos anos trevas

 

querem que vá de A para B não posso

não posso sair estou numa terra sem rastos

sim sim é uma coisa bonita que aí tem uma coisa bem bonita

o que é não me façam mais perguntas

espiral poeira de instantes o que é isso o mesmo

a calma o amor o ódio a calma a calma

 —————————————

[traduzido por Mr. Filipe Jarro para a Rosa do Mundo]

Anúncios

Uma resposta to “my own private Beckett”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: