Dia da Criança, 1957

Sábado, 23 Dezembro 2006 (19:17)

tijolo_cor_de_tijolo 

Início de Do Fim do Mundo [O Jornal, 1990], novela póstuma do grande Nuno Bragança, a €1 na liquidação louca de stocks da Ler Devagar à ZDB, no Bairro:

O dr. Túlio Gomes Vítor, Raios X, chegou ao Cais do Sodré às dezanove horas e quinze minutos. Olhou para o pulso esquerdo quando começava a subir os degraus da estação terminal e viu que tinha um quarto de hora para comprar bilhete no rápido das dezanove e trinta.

Era o dia 1 de Junho de 1957, e o átrio da terminal, morno e com ecos, trouxe a Túlio a sensação de estar penetrando num recinto de piscina coberta. Meteu-se na pequena bicha frente a um dos guichets. Diante dele, uma velhota gorda começava a se afastar com o bilhete adquirido numa mão e o troco na outra. Ela estacou de repente, contando o dinheiro com os olhos, e Túlio embateu com o baixo-ventre nas enormes nádegas, o que provocou um tilintar: caíra uma moeda. Túlio apanhou-a e entregou-a à mulher, que lhe sorriu com forte odor britânico.

«Oh, thank you so much».

«Don’t mention it», respondeu Túlio com o seu ar cortês número dois. Vera distinguia nele cinco ares corteses. A este chamava ela o «vai-te às almas à maître d’hotel».

«Monte Estoril, primeira». Túlio recebeu o rectângulo de cartão e entregou a quantia exacta.

Na carruagem, após se ter sentado, Túlio guardou o bilhete no bolso direito do casaco, junto às chaves do Alfa Romeo azul escuro, que o esperava na estação do Monte Estoril. Extraindo do outro bolso o estojo do cachimbo decidiu só olhar os cabeçalhos do «Diário de Lisboa» que comprara à saída do seu consultório, situado na Rua do Alecrim. Durante esses dois meses de Monte Estoril — Junho e Julho — ele saía do consultório muito mais cedo do que o seu horário habitual, e descia a Rua do Alecrim como quem baixa à praia. Esses fins de tarde a caminho do Monte Estoril, o vagaroso scotch antes do jantar, a cama de casal com um pinheiro bravo quase entrando pela janela: reconhecia cada vez melhor a força que lhe dava esse retiro anual.

Começou a encher o cachimbo com aquele vagar metódico que já era parte do prazer duma cachimbada. Um fio de tabaco caiu-lhe na calça esquerda. Apanhou-o, reviu de súbito o pescoço do seu último doente dessa tarde, um ancião para uma Hirtz e Waters. Tratava-se de um fidalgo, cujo sóbrio azul do brasão, todo em oiro, parecia fazer parte da mão antiga em cuja companhia se gastara. Quando da chapa Hirtz o velho fora acometido dum medo súbito, que varrera a voz serena, a memória irónica e o sorriso lúcido. Sob o aparelho ficara unicamente um velho, inventando desculpas para não inclinar tanto a cabeça para trás. Túlio aconchegou o tabaco em quatro camadas, fazendo de cada vez um pouco mais de força nesse calcar. A imaginação trouxe-lhe a imagem dessa radiografia ao ancião e ele tornou a ver a cruz de sombra projectada na garganta aflita do velho, e lembrou-se de que fora forçado a engolir um sorriso: a sua empregada parecera-lhe nesse instante uma cozinheira prestes a degolar um frango medonho. Agora, dentro do comboio que começava a rodar, não se violentou, e o cachimbo atestado subiu a enfiar-se num sorriso: quem sabe se não tinha sido a mesma imagem que provocara no ancião aquele medo inexplicável?

Levantou os olhos e viu uma mulher jovem que sorria de o ver sorrir.

Durante um largo instante, sorriram. Sorriam de um sorriso alheio e isto sem quaisquer inibições. Túlio foi o primeiro em quem o adulto interveio: detestava que o apanhassem com a guarda caída. Vera chamava a isso «pudor nórdico», porque os pais de Túlio eram do Porto. Túlio acendeu o cachimbo e só depois de incendiar o fornilho é que levantou de novo os olhos, que baixara. A mulher jovem rebuscava no saco, tinha corado. «Bastou eu desviar os olhos», pensou Túlio. «Talvez fôssemos a trocar sorrisos até Algés se eu não desviasse a vista». Ficou às voltas leves com este pensamento para ele pouco claro.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: