OCEANO ONZE (ler em Português-Brasileiro)

Sexta-feira, 26 Janeiro 2007 (17:35)

Tagline: És da revolução ou um maricas acomodado?

—————————————-

Personagens:

NENUCO OCEANO TRANSFORMER, brinquedo versátil, que vem equipado com os seguintes disfarces:
A) Casaco castanho felpudo e kilt-boné de xadrez para se transformar no temível e borracho Urso Escocês;
B) É-charpe do Martim Moniz para se transfigurar numa das sedutoras Moiras Encantadas;
C) Óculos de sol e boné à banda para se transpessoalizar num radical e despreocupado Bué da Jovem;
D) Computador portátil ligado à internet 24 horas;
E) Chip Revolucionário da Revolução. Este brinquedo está pronto para organizar uma revolução a qualquer momento, seja qual for o motivo.

BANDA DAS MERCÊS, constituída por Bambi e Palmeira. Na verdade, não é bem uma banda. Palmeira é ventríloquo e Bambi é uma marioneta (patrocinada pela Miss Sixty), que também toca acordeão. No entanto, Palmeira não é um simples ventríloquo. Tem outras habilidades como aparecer no papel da “outra” Moira Encantada…

TONI REBEL, surfista, jardineiro, marketeer e boobwatcher. De vez em quando, toca na banda das Mercês (se não houver ondas ou gajas com mamas para observar). Conhece os melhores spots de boobwatching de todos os centros comerciais da capital e arredores. Tem uma relação obsessiva com uma máquina fotográfica, a que chama carinhosamente de “a minha Laica”.

FIVESTARS, apesar do nome anglófono, é pública a sua formação francófona desde os 3 anos. Jornalista, interessa-se por terapias milenares e personal shopping. Frequenta uma taróloga chinesa, um osteopata indiano, um hipnotizador português, faz yôga e está a acabar um workshop de feng shui, as we speak.

EL BANHADAS, viandante de profissão, atingiu o topo da sua carreira de banhadas ao dar a-mãe-de-todas-as-banhadas a um país inteiro, o Nepal. Revolucionário por natureza, atingiu o topo da carreira de revolucionário ao afirmar publicamente que o Holocausto não existiu, logo depois de ter pontapeado uma criança algemada. Tem a particularidade de nunca responder directamente ao que se lhe pergunta. Possui um harém, coisa rara nos dias que correm. Recentemente, foi considerado o jornalista vivo mais sexy do mundo.

HOMEM DA GARAGEM, tem uma garagem mágica alugada a um francês e aparece só de quando em vez. É ajudante do servente de pedreiro do Toni, designer, viciado em fanzines e fabricante de t-shirts. Foi gerente de um talho por um mês e fala numa linguagem própria que ora é compreendida por toda a gente ora não é compreendida por ninguém.

YOD’ANA e CRISTÃO, são uma espécie de animadores culturais. Este casal possui uma micro-empresa. Podem animar qualquer festa mas também insultam pessoas na rua, por encomenda. Se houver algo ou alguém que precise de ser confrontado com algo ou alguém, these are the people.

ESPALHA, filha adoptiva de Fivestars e El Banhadas. Antes de conhecer estas duas personagens, a vida de Espalha era monótona e a própria Espalha era mais apagadita. Mas tudo mudou a partir do momento em que Five e Banhadas resolveram ser tutores da jovem Espalha. Fivestars trata da formação de literatura, medicinas alternativas e moda, enquanto El Banhadas se encarrega da formação musical da petiz.

CATY, irmã de Fivestars, é uma presença apaziguadora e graciosa. A sua passagem deixa um rasto de testosterona no ar. Os homens adoram-na!

—————————————-

DIA 1

Numa subcave em Lisboa, mais precisamente na zona de Alcântara, Nenuco reúne, mais uma vez, os amigos para um Jantar da Revolução, desta feita sob o mote «Já viram bem os preços das Moleskine nas lojas de comércio tradicional?», depois do inconclusivo último encontro subordinado ao tema «Vamos mas é arrebentar com esta merda toda!». O mentor aposta, agora, em temas mais específicos. Na sala, os convivas Bambi, Palmeira, Garagem e Toni estão descontraídos, bebericando Martini, enquanto Nenuco saltita entre o i-Book e a cozinha, onde está a sua companheira a tratar da refeição. Balanço até esta altura: Fivestars já vai em maço e meio, enquanto faz o refogado com a colher de pau, oferecida pelo Nenuco, que está maluco, no dia de São Valentim de 1984. Loiça partida: 4 copos, 3 pratos e 1 garrafa de vinho.
Espera-se, a qualquer momento, a chegada de Yod’Ana e seu partenaire, Cristão, e já não se espera a chegada de El Banhadas. Ultimam-se os pormenores do próximo atentado. A ideia é assaltar a papelaria da D. Jipette no Príncipe Real, roubar as Moleskine, enchê-las de mensagens subliminares revolucionárias, voltar a selá-las e devolvê-las à procedência, para a D. Jipette continuar a vendê-las pelo dobro do preço.

DIA 2

D. Jipette abre a papelaria às 13 (essa merda de acordar cedo é que não!) e entra, ignorando Bambi, versão homeless, que está sentada à porta, com o seu acordeão, de mão estendida.
Fivestars faz-se acompanhar de El Banhadas (que ficou acorrentado na noite anterior na casa de Fivestars, devido ao seu problema compulsivo de falhar compromissos) e Palmeira, jovem adorado pela vizinhança e, claro, pela D. Jipette. Fivestars dirige-se a Jipette. Objectivo: convencê-la a mudar a decoração da loja, para algo mais feng shui.
Enquanto Fivestars faz a sua apreciação do espaço e Palmeira analisa todas as prateleiras ao pormenor, El Banhadas (que tinha vestido a sua melhor camisola Jean Paul Gaultier) entra em acção, encontra o olhar lânguido da D. Jipette e puxa-a para perto da porta, onde dispara:

El Banhadas: Sabe que na Margem Sul ainda temos… (snif) galinhas do campo? Eu conheço um miradouro forex ali para os lados da Ajuda em que se avistam os campos selvagens e inóspitos da Outra Banda. Não trema. Gostaria de levá-la lá. Tipo flash. É importante para mim.

Jipette na lambrette. Fivestars e Palmeira retiram as Moleskine e entregam a Bambi. Primeira fase da missão cumprida.

Dia 3

Num jardim, em Cascais… Toni afunda um trilho na relva, andando de um lado para o outro, sempre no mesmo percurso. Apesar de estar ao telemóvel, consegue tirar as medidas exactas ao busto da filha do dono da casa.

Toni: Olha lá, ó Garagem, viste-me aquele par 38, copa C? Até ‘tou todo a tremer…
Garagem: Eh pá não, por acaso não vi. Estava ocupado a carregar brita.
Toni: Ah, claro, claro! Andas outra vez armado em sensível com as gajas, é? Acho que já te expliquei que essa merda não te vai levar a lado nenhum. Já sabes que é tudo uma cambada de *****!
Garagem balbucia algo sobre cavaleiros andantes, buracos negros e outras coisas imperceptíveis.
Ao fundo, vêem Nenuco Transformer, versão Urso Escocês, a aproximar-se.

Nenuco: Rapazes, tenho uma missão importantíssima.
Toni: Eh pá vamos ali p’rá piscina, que tem umas cadeirinhas bem fixes. Tu ficas aí, Garagem. Depois ponho-te a par de tudo!

outra porta e sete escapadelas [2005/2007]

Quarta-feira, 24 Janeiro 2007 (18:57)

porta7escapa

Paulo Portas foi a Cuba em avião da CIA

Quarta-feira, 24 Janeiro 2007 (12:37)

portasrumsfeld01.jpg

O Muito Barulho teve acesso a documentos secretos que comprovam a passagem de voos da CIA por Portugal e associam inequivocamente Paulo Portas às actividades da agência norte-americana. Em vez de entregarmos as provas a Ana Gomes, à Procuradoria-Geral da República ou ao Parlamento Europeu, optámos por chantagear o antigo ministro da Defesa, exigindo um Jaguar por cada um dos elementos do blogue (passámos subitamente de 4 para 250 membros activos), tratamentos grátis no solário onde Portas costuma tisnar a pele, o apartamento da Quinta do Lago e, claro, uma viagem a Cuba com tudo pago.
Só que, já depois do acordo feito, achámos que seria muito mais giro receber o saque e cagar completamente para o gajo. Ainda por cima, o apartamento da Quinta do Lago está a precisar de obras e os bilhetes para Cuba eram em económica. Por isso, aqui está a carta que Portas enviou a Rumsfeld a agradecer o amável convite para aproveitar a passagem de um avião da CIA por Portugal e assim passar umas férias de papo para o ar em Varadero (ou então ficar por Guantánamo e abusar de uns quantos prisioneiros mais bem guarnecidos).

Caro Secretário de Estado da Defesa
da Maior e Mais Capaz Nação do Mundo
(nunca é demais dizê-lo),

É com o mais elevado sentido de Estado que aceito o seu convite para viajar até Cuba a bordo de umas das vossas magníficas, majestosas, viris e potentes máquinas voadoras. Os portugueses, que são invejosos como tudo, se um dia descobrem, vão ficar fulos da vida, mas como eu também já por cá não devo andar nessa altura, vou aceitar antes que se me acabe o tacho que impingi ao Durão. Além disso, este povinho nunca iria entender a importância de preservar ao mais alto nível as nossas sólidas relações inter-atlânticas.
Bom, sabe, já que me estendeu tão amável convite, e sem querer abusar da sua boa vontade, acha que seria possível ter uns momentos de privacidade com os prisioneiros. Não me interprete mal, Secretário! Só gostava de experimentar nessas facínoras terroristas certas impiedosas técnicas de tortura que, segundo ouvi a terceiros, são um case study numa instituição de correcção de crianças marginais de grande sucesso no nosso país (não sei, se já alguém lhe terá falado de uma tal de Casa Pia…). É que esses lunáticos merecem uma tratamento de que nunca mais se possam esquecer e eu, nem é para me gabar, mas até sou muito bom na aplicação de uma gama vasta de castigos corporais. Sabe, foi a minha formação nos Fuzileiros… (também já deve ter ouvido falar).
Já agora, pode-me dizer como é que está o tempo em Cuba? É que tenho tendência para deixar gretar os lábios e, se calhar, é melhor levar um pomadita de vaselina.

Cumprimentos cordiais

Paulo Portas
Ministro da Defesa de Portugal