Um conto lusitano

Terça-feira, 16 Janeiro 2007 (11:12)

paula_bobone.jpg

Só para quem leu o post anterior.

Alguns jovens ébrios cantam o Alabama Song, clamam pela revolução, pela distribuição gratuita de Victan (a revolução do Victan) e lançam impropérios contra o sistema capitalista enquanto sobem o Chiado. Abruptamente, as palavras de ordem são interrompidas por uma visão onírica. Paula e Vasco Bobone param ao nosso lado na passadeira do Camões. Seria a alucinação fruto da ronda kurt/brechtiana pelos whisky bares do caminho? Seria resultado da nuvem psicotrópica que se apoderou do concerto de Ray Manzarek e Robbie Krieger? Ainda tenho dúvidas sobre a realidade dos factos, pelo que terão de me desculpar alguma falta de rigor na apresentação dos mesmos.

O escárnio dos jovens contagia os restantes transeuntes. Entre aplausos e slogans juvenis “acabados em Bobó”, a jovem Yod’Ana aproxima-se de Paula Bobone.

YOD’ANA – Desculpe, você tem de compreender as reacções que provoca. É uma figura pública e representa tudo aquilo que nós mais odiamos na sociedade.

Não sei se é do pó de arroz, de outro pó qualquer ou da máscara facial Vichy. O certo é que a mulher não revela qualquer expressão. Parece tão humana como as bonecas de borracha da Sex Shop ali da Calçada do Combro. Como um programa de computador a fazer o search do file correcto, a resposta é rebuscada no arquivo Ram da máquina.
C://File Situações Desagradáveis, Open and send to Desktop:

BOBONE MACHINE – Bip, bip, Eu convivo bem com isso, bip, over.

C:// File Open File Documents, Document Sorriso para situações incómodas, Open and send to Desktop

BOBONE MACHINE – Bip, bip, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos, Beijinhos,
CRASH CRASH CRASH System ERROR System ERROR
Password Invalid TRY AGAIN

Bobone Machine parece desconjuntar-se, uma nuvem de fumo é expelida do sistema operativo.

BOBONE MACHINE – Bip, Bip, Aulas de etiqueta, bip, Lili Caneças é uma puta, bip, vernissage em casa do Castelo Branco, bip, Castelo Branco é uma puta, bip, onde pus as minhas pulseiras Versace, bip, bip, bip, beijinhos, beijinhos, bip, o Vasco é artista plástico, bip, o Vasco é uma puta, bip

Vasco Bobone reage prontamente – pelo menos, tão prontamente quanto o Alzheimer avançado lhe permite, ou seja, 20 minutos depois. Retira da mala Vuitton um chip, introduzindo-o numa ranhura alojada na nuca. A situação parece voltar a estar controlada.

BOBONE MACHINE – Bip, bip, Despache-se, Vasco, que eu não quero chegar ao aniversário da Kapital depois dos jornalistas já se terem ido embora, bip, bip.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: