tipo de casa quinhentista

Quarta-feira, 5 Março 2008 (19:18)

lx-keil-quinhentista-377.jpg

Anúncios

Patrícia Tavares… e as suas duas chiquititas

Sexta-feira, 10 Agosto 2007 (10:32)

O que seria deste blogue sem a Patrícia Tavares? Nada. Zero. Niente. A ela lhe devemos o que somos e no que nos tornámos. E no que se tornou este blogue, afinal? Num zero infinito, um vazio pleno, um nada perfeito. Mas um nada que é tudo graças às mamas da Patrícia.

02.jpg

(ya, eu sei que não são as mamas da Patrícia, mas eu não consegui descarregar nenhuma foto dela e, de qualquer modo, isto só vem corroborar a minha tese do zero total)

Broche de merda

Sexta-feira, 20 Julho 2007 (08:30)

11.jpg

Nem todas as mulheres podem fazer broches. Ou porque não sabem. Ou porque julgam que sabem. Ou porque não sabem e tentam na mesma. Umas são demasiado rápidas. Outras adormecem a meio. Para não falar naquelas cuja fisionomia proíbe terminantemente qualquer veleidade. Lá diz o outro, é para quem pode e não para quem quer. Mas a triste sina é que homem que é homem não se pode a dar luxos e mais vale um broche mal feito do que nenhum broche at all. A única excepção à regra é, claro, um broche, bem ou mal feito – é indiferente – feito por outro homem. E não há mas nem meio mas. Não há meia-luz, coma alcoólico, trip de LSD, febre alta ou problema invisual que desculpe o equívoco. Broche que é broche tem de ser feito por uma gaja e ponto final. Biologia dixit e assunto arrumado. Então, alguém me explica como é que o Sócrates que, ao que consta, é gajo, com canudo superior e tudo, caiu no engodo de fazer uma mamada alguém que, ao que consta, é gaja e de quem não há provas de que tenha canudo, superior ou não? Ao menos, espero que tenha sido bom para a ela!